Relato (26/03/2020)

Resultado de imagem para relatar



Relato

O relato é um tipo de texto em cuja organização a sequência temporal é um elemento central. Dessa forma, ele sempre se refere a um fato o qual pressupõe, além de tempo, outros elementos, como espaço, ação, personagens e narrador.
Primeiramente, é imprescindível se admitir que todo e qualquer fato é passível de análise e de síntese; em outras palavras, todo fato pode ser desmembrado em inúmeras ações intimamente a ele relacionadas que mantêm entre si uma relação de anterioridade e de posterioridade e, ao contrário, ser reduzido ao menor número possível de eventos que se conectam a ele. Isso porque, no mundo real, no qual vivemos, o fluxo de acontecimentos é infinito e ininterrupto. Por exemplo, você pode dizer simplesmente: Hoje, pela manhã, como habitualmente faço, arrumei-me, tomei meu café da manhã e dirigi-me ao meu trabalho.
Mas você pode desmembrar esses fatos em outras ações. Hoje, ao abrir os olhos após uma noite de sono restabelecedor, logo pela manhã, mais exatamente às 6h20min, sentei-me na minha cama, calcei meus confortáveis chinelos, não sem antes bocejar e me espreguiçar, fui até ao banheiro, fiz minha ablução matinal, tirei meu pijama, coloquei meu uniforme para somente então tomar meu café da manha. Após alimentar-me, escovei os dentes, passei um perfume, peguei as chaves do carro, tirei-o da garagem e dirigi-me ao meu trabalho. Lá chegando, estacionei o veículo, tranquei-o, subi as escadas até chegar à minha sala de trabalho. Ao adentrá-la, cumprimentei meus colegas presentes, sentei-me à minha mesa, liguei meu computador e comecei a trabalhar.
E pode, igualmente, reduzi-los. Hoje, após o café da manhã, fui trabalhar.
Como se pode ver, não há um padrão para o encadeamento das ações; o que determinará a sequência das ações e o ritmo imprimido a elas ao serem transcritas para o papel será o olhar do narrador, guiado pelos objetivos e intenções previamente estabelecidos. No caso de um relato feito para ser avaliado, além das exigências textuais propriamente ditas (aspectos lexicais, sintáticos, tempos verbais, relações lógicas), é preciso se levar em conta a situação comunicativa bem como a função do gênero textual em que o relato se insere.
Assim o relato contido numa carta pessoal de um filho a uma mãe em que ele conta como foi seu primeiro dia de faculdade numa cidade distante vai diferir bastante em vocabulário e sintaxe, por exemplo, daquele contido num boletim de ocorrência redigido por um escrivão ao colher o depoimento de uma vítima de assalto. No primeiro caso, o relato, escrito em 1ª pessoa, provavelmente possuirá um grau de informalidade que não deve constar no segundo caso, dada a situação formal de comunicação em que circula um boletim de ocorrência. Este, redigido em 3ª pessoa, deve conter informações o mais objetivas e precisas possível; já na carta pessoal, o relato pode vir impregnado de emoção e subjetividade, dado o caráter pessoal do gênero textual em questão, o que interferirá, naturalmente, na seleção vocabular bem como na construção sintática das frases.
Entretanto, independentemente do gênero textual em que figura o relato, interessa-nos em nosso curso reconhecer os traços linguísticos que caracterizam a tipologia textual relato.
Dessa forma, um relato deve responder às seguintes perguntas:
1. O quê? (fato): O que aconteceu. O fato envolve um conjunto de ações devidamente encadeadas, posto que devem apresentar uma relação lógica entre si.
2. Quem? (pessoas): As pessoas envolvidas no fato do qual participam praticando ações.
3. Onde? (espaço): Lugar(es) onde transcorrem as ações relacionadas ao fato.
4. Quando? (tempo): Referência temporal indicadora do momento e/ou da duração das ações.
5. Qual narrador (1ª ou 3ª pessoa): A voz que conta o fato, ou seja, que seleciona as ações e as encadeia numa relação lógica, segundo a sua perspectiva como participante do fato e praticante das ações (1ª pessoa) ou observador que não pratica ações, pois não se envolve no fato (3ª pessoa).


Considere o seguinte fato: Os passageiros aterrissaram em Nova York no meio da noite.
Relate-o do ponto de vista do controlador de tráfego aéreo registrando a ocorrência a partir do que presenciou da torre de controle e do que lhe informou o próprio piloto do avião. O narrador deve ser em 3ª pessoa.
A exemplo do que foi explicado, desmembre esse fato em outras ações a ele relacionadas, estabelecendo uma relação lógica, de modo que se mantenha entre elas uma ordem cronológica de anterioridade e de posterioridade. Para isso, você deverá acrescentar informações que respondam às perguntas acima comentadas.
Observação: Atente para a precisão das informações e para a objetividade da linguagem, a qual deve obedecer à norma padrão.